terça-feira, 12 de Março de 2013

O problema da direita portuguesa

Saudações a todos os compatriotas liberais,


Apesar de ser liberal e no que toca às questões económicas simpatizar mais com a direita portuguesa do que com a esquerda (com a qual concordo apenas nas questões da legalização do aborto, eutanásia, etc.) não sou capaz de me inscrever, nem de votar nos partidos da direita portuguesa? Porquê? Porque a direita portuguesa é dominada pelos opus dei, por fanáticos religiosos, conservadores e que nem são muito liberais! É verdade, a direita portuguesa não é liberal como se auto-proclama, é corporativista! Afirma ser anti-estado mas na verdade e quando vamos a ver, é a primeira a financiar e apoiar as empresas e bancos. Como é que uma direita que se proclama "liberal" pode aumentar o IRC e injectar dinheiros públicos em bancos privados? O problema da direita portuguesa é que se encontra feita com o poder económico, veja-se o exemplo do PSD, é um partido constituído por vários empresários e pessoas ligadas ao sector privado (o que não tem nada de mal...) que quando chega ao poder sente necessidade de satisfazer os seus "clientes/militantes do privado..." e de apoiar com programas, iniciativas e subsídios as empresas privadas dos "compinchas" de partido, ou seja, o PSD não se trata de um partido liberal mas sim de um partido corporativista (modelo económico existente nos regimes fascistas em que existe uma promiscuidade enorme entre o estado e as empresas privadas), tal como a restante direita portuguesa. Penso que para podermos implementar um regime VERDADEIRAMENTE liberal temos que nos ver livres, em primeiro lugar, desta direita conservadora e corporativista que se auto-proclama liberal quando não o é... e que só mancha o bom nome do VERDADEIRO liberalismo. Em Portugal não existe nenhum partido com um forte discurso anti-estado, nem o CDS, neste momento simplesmente NÃO-EXISTE nem nunca existiu porque o CDS apesar de ser o mais à direita que temos continua a ser um partido democrata-cristão e não é assim tão liberal como isso, veja-se o caso da RTP que o CDS não quer ver privatizada... Portanto, partidos verdadeiramente liberais em Portugal? Não existem (até porque o discuros anti-função pública continua ,infelizmente, a custar muitos votos...) Partidos liberais no que toca somente às questões económicas? Também não. E partidos auto-proclamados liberais, que aumentam a carga fiscal sobre o as empresas, que apoiam com subsídios as empresas privadas, nacionalizam a banca, são corporativistas e se auto-proclamam liberais? Existem dois, CDS-PP e PSD. Faz falta em Portugal qualquer "coisa", partido, grupo, etc. que defenda o VERDADEIRO liberalismo social e económico! Por amor de Deus (em que Eu não acredito...) é tempo de surgir alguém com um forte discurso anti-estado, anti-corporativismo, anti-função pública, etc. Que apareça um único VERDADEIRO liberal que seja na esfera política portuguesa, por favor!!! Se não... simplesmente não sei o que fazer ao meu voto.
PS: Hoje não tive tempo para escrever as minhas usuais crónicas "artísticas" com metáforas e palavras caras... estou cansado e com alguma pressa - Peço desculpa. Se quiserem consultar a crónica que faz o balanço da semana passada cliquem aqui - http://www.retiroliberal.blogspot.pt/2013/03/o-cocktail-estado-cleptomaniaco-chavez.html

Saudações,

O Liberal

domingo, 10 de Março de 2013

Para quando a criação de um partido verdadeiramente liberal em Portugal?

Saudações a todos os compatriotas liberais,

O nosso espectro político desgosta-me imenso e devia entristecer qualquer verdadeiro liberal. Somos obrigados a escolher entre uma esquerda (progressista no que toca às questões sociais, tais como: a homossexualidade, o aborto, a eutanásia, etc. MAS conservadora no que toca às questões económicas, defensora de um estado grande, de uma forte intervenção estatal na economia, etc.) e uma direita (conservadora no que toca às questões sociais, tais como: o aborto, a questão da existência de Deus, etc. e progressista no que toca às questões relacionadas com a economia, defensora de um estado de pequena dimensão, defensora do investimento privado, etc.).
Eis a minha questão: porque motivo é que ainda não se criou em Portugal um partido verdadeiramente liberal? que seja progressista no que toca às questões do aborto, homossexualidade, eutanásia, etc. e que seja também progressista no que toca às questões da economia, defensor de uma função pública reduzida, de um estado mínimo, etc.
Os partidos liberais têm surgido e se desenvolvido bastante nas últimas duas décadas em vários países europeus, tais como: a Holanda, Inglaterra, etc. e o verdadeiro liberalismo ou como se diz em Inglês "libertarianism" pois em Inglês a palavra liberal significa ser de esquerda... tem crescido imenso nos Estados Unidos da América graças a personalidades, tais como: Ron Paul e Gary Johnson e graças ao partido liberal norte-americano (libertarian party) que tem também crescido imenso nos últimos tempos. Avaliando o ritmo a que o verdadeiro liberalsimo ("libertarianism") tem crescido nos Estados Unidos, creio que em menos de um século iremos assistir à eleição de um presidente norte-americano verdadeiramente liberal.
Por isso, coloco mais uma vez a questão: porque é que Portugal se recusa a acompanhar estas tendências? Porque motivo é que ainda ninguém se lembrou de criar um partido liberal português? Bem sei que existem alguns movimentos liberais em Portugal mas por enquanto são praticamente insignificantes e não passam de grupos de conversas de café.
Enfim... Se alguém quiser formar um partido sério e que seja verdadeiramente liberal em Portugal faça o favor de me contactar.

sábado, 9 de Março de 2013

O cocktail - Estado Cleptomaníaco, Chavez, Deus e as Reformas

Saudações a todos os compatriotas liberais, 

Esta semana foi relativamente pobre no que toca a notícias bombásticas... Ficámos a saber que a Coreia do Norte pretende, em resposta às constantes sanções por parte da ONU, romper com os acordos de não-agressão que possui com a Coreia do Sul.
Ficou-se também a saber esta semana que mais de metade dos russos não se importavam de voltar a ser governados por Estaline, o que não me choca absolutamente nada uma vez que a Rússia nunca foi, historicamente falando, afecta à democracia.
O Comunismo não se encontra apenas vivo na Rússia e na Coreia, encontra-se também, bem vivo e de saúde, num outro país com um baixo nível de literacia, Portugal. Esta semana, os medias portugueses vangloriaram e idolatraram Hugo Chavez, tendo realçado DURANTE A SEMANA INTEIRA... os seus grandes feitos em prol dos mais desfavorecidos. Gostaria de aproveitar a oportunidade para realçar também os grandes DEfeitos de Chavez. Este tratava-se ,nada mais nada menos, de um "ditadorzeco" corrupto. Controlava por completo juntamente com os seus "compinchas" de partido a comunicação social do país e vários sectores económicos. É verdade que reduziu a pobreza mas também é verdade que o fez com o dinheiro do petróleo e apostando num modelo económico que irá prejudicar em muito as futuras gerações venezuelanas. E é verdade também que não teve a coragem de fazer frente aos altos níveis de corrupção existentes na Venezuela, muito pelo contrário aliás... As reacções à morte de Hugo Chavez por parte do povo venezuelano, muito semelhantes aliás às reacções norte-coreanas a quando da morte de Kim-Jong-Il, demonstram o quão controlada se encontrava/encontra-se a imprensa venezuelana e como existia/existe, de facto, na Venezuela um profundo culto à personalidade de Chavez.
Chavez era um "ditadorzeco" corrupto que só podia ser idolatrado e quase que admirado como um Deus num país intelectualmente atrasado e retrógrada como Portugal.
Todos os devotos conhecem a seguinte máxima: não roubarás/roubar é pecado, etc... pois o nosso estado parece nunca ter havido falar em tal coisa. O governo português pretendeu resolver a crise económica através do roubo.. sim! através do roubo das pensões dos idosos. O governo português parece esquecer-se que realizou em tempos um contracto com aquelas pessoas a quem agora brutalmente assalta. Esta falta de respeito do estado português perante um contracto celebrado entre si e os seus cidadãos (reforma) só vem mais uma vez provar que não podemos confiar no mesmo e que seria preferível que em Portugal se adoptasse um modelo em que cada um pudesse guardar as suas reformas e os seus dinheiros, mas o estado para além de ser ladrão é autoritário e repressivo e castiga aqueles que preferem guardar os seus dinheiros para si em vez de os oferecerem a uma instituição corrupta e muito pouco fidedigna (o estado) com um passeio à cadeia. É tão bom viver num país livre...
Se é discutida a barca de Chavez, é também discutida esta semana a barca do próprio Vaticano. Com as constantes notícias que saíram esta semana sobre os "lobbies" que existem dentro da Santa-Sé, as constantes pressões e os casos de pedofilia, penso ser legítimo colocar as seguintes questões: O que é que isto tudo tem a haver com Deus? Que Deus deixaria como legado na terra aquele tipo de igreja? A resposta parece-me evidente, um Deus inexistente...
Sem Deus na terra, as reformas em Portugal e Chavez na Venezuela e com uma ameaça de guerra nuclear assim vai o mundo na semana em que se celebra o dia internacional do DJ... pois é... vira o disco e toca o mesmo.

 Saudações,

O Liberal

Vamos lá ver no que é que isto dá...

Saudações a todos os compatriotas liberais,

Hoje, dia 9 de Março do curioso ano de 2013 nasce o blogue "Retiro Liberal". Este blogue será, então, um espaço em que (tal como acontece com todos os restantes blogues na internet...) vos irei apresentar a minha (por enquanto...) irrelevante opinião sobre o estado da nação portuguesa e do mundo.
Gostaria de apelar a todas as mentes liberais portuguesas para que façam exprimir a sua opinião neste blogue e que contribuam para transformar o mesmo no epicentro do liberalismo português e num agradável espaço de discussão e debate de ideias.
Este blogue trata-se então, de um espaço de discussões políticas e de análise da actualidade. "Retiro Liberal" seguirá uma linha ideológica, a do verdadeiro liberalismo, a do liberalismo tanto a nível social como a nível económico. 
Este blogue trata-se de um espaço democrático pelo que todas as opiniões vindas dos diferentes "cantos" do espectro político serão bem recebidas na secção dos comentários.
Embora, "Retiro Liberal" se trate de um espaço democrático existem algumas regras que deverão ser cumpridas, a saber:
- Todos os conteúdos não relacionados com a actualidade, teoria política, economia e afins que sejam publicados na secção dos comentários serão prontamente eliminados;
- Injúrias e ofensas pessoais não serão toleradas;

Vamos lá ver no que é que isto dá...

O Liberal